BLITZ Buscas www.blitz.u1u.de

Blitz Alemanha Curiosidades Links e artigos

Image Hosted by ImageShack.us
Aqui no Blitz Germany curiosidade você vai encontrar diversos sites de diferentes assuntos e fatos históricos sobre Alemanha com relatados links de Sport,Org,Blitz curiosidades é um blog com uma variedade enorme de assuntos, visite periodicamente seja nosso seguidor ...

Nossos seguidores do Blitz Germany

quarta-feira, 2 de junho de 2010

O Trabant "TRABI"














Trabant
- foi um autmóvel produzido pela Sachsenring em Zwickau, na antiga Alemanha Oriental, a República Democrática da Alemanha (RDA), entre 1957 e 1991 .
O Trabant companheiro de viagem em Alemão ou Trabi, como era carinhosamente chamado pelos alemães, tinha uma carroceria de plástico, que era similar à fibra de vidro, mas de fabricação mais barata e viável para larga escala, mas não era reciclável, o que resultou em um problema nos anos 90: como eliminar as velhas carrocerias abandonadas? O problema acabou exigindo o desenvolvimento de um fungo específico para essa função.
O desempenho não era o forte do Trabant, que atingia uma velocidade máxima de 100 km /e acelerava de 0 a 80 em 20s, apesar de pesar apenas 615 Kg. Por outro lado, fazia cerca de 11 km/l na cidade e 14 na estrada. Em seu ritmo lento, naturalmente.
Comenta-se que uma empresa norte - americana adquiriu os direitos de produção e tenha planos para relançá-lo, com desenho e mecânica atualizados, em uma fábrica no Usbequitão .
Estima-se que existam hoje cerca de 200 mil Trabants em circulação, cobiçados por colecionadores de todo o mundo. O Trabi permanece como o maior símbolo da extinta DDR e de tudo que ela representou. O fim do singelo automóvel coincide com o fim da guerra fria e da divisão bipolar do mundo. Hoje, ele é um marco desse tempo que passou, um tempo que ficou para trás quando sopraram os ventos da mudança.

domingo, 12 de abril de 2009

AUTOBAHN


Autobahn é uma via de comunicação destinada apenas a tráfego motorizado, dotada de duas vias (pelo menos) em cada sentido, separadas por elementos físicos, com cruzamentos desnivelados e acesso restrito a nós de ligação, não possuindo cruzamentos - e sim rampas de acesso - e servindo, primariamente, para atender ao tráfego entre áreas urbanas ou dentro de uma metrópole. Assim, as autoestradas não devem ser confundidas com vias expressas, com vias rápidas nem com sistemas rodoviários nacionais.

Numa autoestrada, os limites de velocidade são geralmente maiores que os de outras estradas e, normalmente, possuem portagem, sendo concessionadas a uma empresa que as explora comercialmente e conserva. Muitas autoestradas não são construídas de raiz, podendo ser construídas a partir da reconversão de sistemas de estradas ou rodovias nacionais.

segunda-feira, 9 de março de 2009

Relógio Cuco





Os primeiros relógios foram feitos na Alemanha na região da floresta negra na cidade de Augsburgo em 1629 que pertencia ao Príncipe August Von Sachsen
Ate hoje e produzido vários relógios Cuco ,seu desenho lembra as casas Alemãs na região da floresta negra.



Uma curiosidade o pássaro Cuco e um pássaro que gosta de temperatura baixas,neve visto muitos nesta região na Alemanha quando chega a primavera eles fazem uma viagem para outros pais com temperatura baixas e só retorna a Alemanha no inverno.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Alemanha e o DKW


Fundada em 1917 pelo dinamarquês Jörgen Skafte Rasmussen em Zwickau na Saxônia se dedicou inicialmente a produção de pequenos motores a vapor, vindo daí a origem da sigla DKW (Dampf-Kraft-Wagen - Veículos Movidos à Vapor), com a evolução tecnológica a DKW passou a produzir motores a gasolina de dois tempos e a sigla DKW passou a ser usada nos anúncios publicitários como sendo "Das Kleine Wunder" (A Pequena Maravilha), após produzir alguns motores para bicicletas, em 1922 construiu a sua primeira motocicleta e em 1928 com a aquisição da fábrica da Audi produziu o seu primeiro automóvel com motor de dois tempos. Em 1932 a DKW se associou ao grupo Auto Union e a produção tanto de automóveis como de motocicletas ganharam um grande impulso, nesse período a DKW tornou-se a maior fabricante de motocicletas do mundo e seus automóveis eram os mais populares e mais vendidos na Alemanha com cerca de 250.000 unidades produzidas até 1942.

Durante a guerra a DKW se concentrou principalmente na produção de motocicletas para uso militar, embora seus automóveis não estivessem entre os ítens fornecidos as forças armadas, vários DKWs foram confiscados de seus proprietários civis em virtude de seus motores de dois tempos aceitarem facilmente vários tipos de combustível. Ao final do conflito a fábrica de Zschopau ficou no território da República Democrática Alemã vindo a se tornar a indústria de automóveis IFA que continuou produzindo com a sua própria marca os modelos da DKW F8 e os F9 cujos protótipos foram desenvolvidos antes da guerra. Em 1949 a Auto Union voltou a produzir os veículos da marca DKW em Ingolstadt. Inicialmente seus modelos foram baseados no mesmo F9 o que fêz com que seus carros fossem bastante semelhantes aos construídos pela IFA. O F9 por sua vez também foi o precursor dos DKWs Belcar produzidos pela Vemag no Brasil. Com a aquisição da Auto Union pela Volkswagen em 1964 a marca DKW foi finalmente retirada do mercado para dar lugar ao ressurgimento da Audi. Veja na coluna ao lado links sobre tema DKW >>>

sábado, 1 de setembro de 2007

# Tribos germânicas datam dos primórdios do Império Romano.

As primeiras referências às tribos germânicas datam dos primórdios do Império Romano. No correr dos séculos, poucos países europeus tiveram uma evolução tão conturbada e cheia de altos e baixos como a Alemanha.

Na origem do povo alemão estão as tribos germânicas. Referências literárias a elas aparecem já antes da era cristã. Mas se passaram séculos até que elas formassem uma nação, já que no início não tinham unidade política.

O povo alemão surgiu num processo que se estendeu por vários séculos, e suas origens perdem-se no tempo. A palavra Deutschland (Alemanha) compõe-se de dois elementos: enquanto land significa terra, deutsch, que só apareceu no século 8º, designava inicialmente a língua falada na parte oriental do império dos francos, que atingiu seu apogeu no reinado de Carlos Magno. Os teutões, um povo sobre o qual pouco se sabe, podem ter sido sua origem. Consta que eles desapareceram depois de derrotados pelo comandante romano Caio Mário em 102 a.C. O nome latino Germania é derivado do alemão Gehrmann ou Wehrmann, que significa "homem de guerra" ou "homem de lança".

O rio Reno, que os romanos cruzaram duas vezes na tentativa de subjugar a Germânia, tornara-se, já na época de César, o limite de dois mundos distintos: o latino mediterrâneo e o nórdico germânico. O imperador romano Augusto desistiu da expansão até o rio Elba (no leste da atual Alemanha) depois que o príncipe Armínio, da etnia germânica dos queruscos, derrotou três legiões na Floresta de Teutoburg. Por ter conseguido deter os romanos, Armínio – ou Hermann, como é chamado em alemão – é considerado o primeiro herói "nacional" da Alemanha.

Demorou muito, contudo, para que os povos germânicos constituíssem uma nação. Esse movimento começou com a constituição do grande Estado franco merovíngio e sua conversão ao cristianismo durante o reinado de Clóvis (481 a 511 d.C.), episódio que está ligado também à origem da França. Três séculos depois, pouco depois da morte de Carlos Magno (814 d.C.), o império começou a se desintegrar devido a partilhas sucessórias. Formou-se um império ocidental e um oriental – a fronteira política correspondia mais ou menos à fronteira lingüística entre o alemão e o francês.

Ameno "Latin: Tira-me/Revala-me"

*Entre os séculos II a.C. e V d.C. as tribos germânicas e celtas estiveram em contato com os romanos, que controlavam o sul e o oeste da Europa e tentaram sem êxito estender seu domínio até o rio Elba. A fronteira se manteve nos rios Reno e Danúbio, onde erigiram os limes (linha de fortificações). Nos séculos IV e V os hunos originários da Ásia assolaram o território e os ostrogodos, visigodos, vândalos, francos, lombardos e outras tribos germânicas invadiram o Império Romano.

Germânia (Germania em latim)

Na época romana, a Germânia (Germania em latim) era o nome com que os romanos se referiam a uma área geográfica que se estendia da margem ocidental do Reno até uma fronteira oriental vaga nas regiões de floresta e estepe das atuais Rússia e Uncrânia.

A Germânia era habitada por diferentes tribos, quase todas germânicas, mas também celtas , bálticas e citas . A conformação étnica era complexa e alterou-se com o tempo devido a migrações. Os Germânicos falavam línguas proto-germânicas.

Roma conhecia a "Germânia interior", a oeste e sul do Reno, ocupada pelos romanos, e a "Germânia livre", a leste do Reno. A Germânia ocupada dividia-se em duas províncias romanas : a Germania Inferior (hoje o sul dos Países Baixos) e a Germania Superior (hoje a Suiça e a Alsásia).

O mais completo relato sobre a Germânia, preservado dos tempos romanos, é Germania, de Tácito.

Nos tempos modernos, o termo Germânia é ocasionalmente empregado para referir-se às terras habitadas por povos de origem germânica ou de língua alemã, independentemente de fronteiras nacionais.

GERMANI as tribos germânicas como aliadas dos celtas.

Várias etimologias para a designação latina GERMANI são possíveis. Como adjetivo, GERMANI é simplesmente o plural do adjetivo GERMANVS (a partir de germen, "semear, disseminar", "desdobramento"), que tem o sentido de "parente" ou "aparentado".Como um etnônimo, a palavra é comprovada pela primeira vez em 223 a.C. na inscrição de Fasti Capotolini, DE GALLEIS INSVBRIBVS ET GERM, onde ela simplesmente se refere a povos "próximos" ou relacionados aos gauleses. Se o nome próprio posterior GERMANI deriva desta palavra, a referência a este uso deve ser baseada na experiência romana de ver as tribos germânicas como aliadas dos celtas. O nome aparece sendo usado pela primeira vez com o sentido de "povos da Germania, distintos dos gauleses" por Júlio César. Neste sentido, o nome deve ser um empréstimo do exônimo celta aplicado às tribos germânicas, baseado em uma palavra para "vizinho". Uma terceira sugestão deriva a palavra diretamente do nome da tribo dos Hermunduri, que Tácito sugere possa ter sido o nome de uma tribo que mudou de nome após o domínio romano, mas não há indícios para isto.

Anglo-saxões - Povo Germanico

Image Hosted by ImageShack.us Os anglo-saxões - tribos germânicas que viveram nos atuais Alemanha, norte da Holanda e Dinamarca - invadiram a Grã-Bretanha em 450 d.C., depois da queda do Império Romano. Eles conquistaram a Inglaterra, mas não conseguiram penetrar as franjas celtas onde hoje se situam Gales e Escócia. Coincidentemente, incitaram um êxodo de bretões para onde hoje é a Bretanha, na França. Elmo anglo-saxão: São os dialetos germânicos falados pelos anglos e pelos saxões que vão dar origem ao inglês. A palavra England, por exemplo, originou-se de Angle-land (=terra dos anglos). A partir daí, a história da língua inglesa é dividida em três períodos: Old English, Middle English e Modern English. A primeira metade do século V, quando ocorreram as invasões germânicas, marca o início do período denominado Old English. Os anglo-saxões - tribos germânicas que viveram nos atuais Alemanha, norte da Holanda e Dinamarca - invadiram a Grã-Bretanha em 450 d.C.

Dicas Blitz Curiosidades blogs "clique nos links abaixo"

Fotos Blitz Alemanha

Clique no ícone do auto-falante para ligar o som ....

visita por % clique abaixo

free counters

Destaque no dia 09 11 2009 na Internert Mundial

20 anos da queda do Muro de Berlim, marco da reunificação do país após 40 anos dividido


A capital alemã será o centro das atenções do mundo na próxima segunda-feira, quando celebrará os 20 anos da queda do Muro de Berlim, marco da reunificação do país após 40 anos dividido em dois regimes - capitalista ao oeste e socialista ao leste.

O governo alemão promete realizar uma enorme "festa da liberdade" que vai reunir os líderes das grandes potências. As celebrações lembram o clímax da lenta desintegração dos regimes comunistas da Europa Oriental e da censura histórica, após meio século de confrontos entre blocos hostis.

Na noite de 9 de novembro de 1989, o mundo assistiu incrédulo ao espetáculo de milhares de alemães orientais apertando as mãos dos compatriotas no Ocidente, após a inesperada abertura das passagens. O muro começava a ruir a golpes da população.

Na segunda-feira, a chanceler Angela Merkel, que cresceu na ex-Alemanha Oriental e cuja carreira política começou com a queda do Muro, receberá diplomatas e líderes mundiais na famosa festa no Portão de Brandemburgo. Nesta semana, ela revelou que, por estar em uma sauna com um amigo, não acompanhou os primeiros momentos da queda do Muro.

# Du bist Deutschland - Original "Você é Alemanha

A maior confissão religiosa na Alemanha é protestante

# Deutsche Wiedervereinigung

A reunificação da Alemanha (Deutsche Wiedervereinigung, em alemão) ocorreu em 3 de outubro de 1990, quando o território da antiga República Democrática da Alemanha (RDA ou Alemanha Oriental) foi incorporado à República Federal da Alemanha (RFA ou Alemanha Ocidental). Após as primeiras eleições livres na RDA em 18 de março de 1990, as negociações entre as duas Alemanhas culminaram no Tratado de Unificação (Einigungsvertrag, celebrado em 31 de agosto de 1990), enquanto que os entendimentos entre a RDA e a RFA e as quatro potências de ocupação (Estados Unidos da América, França, Reino Unido e União Soviética) resultaram no chamado "Tratado Dois Mais Quatro" (celebrado em 12 de setembro de 1990), que outorgava independência plena ao Estado alemão reunificado. A Alemanha reunificada continuava a integrar a Comunidade Européia (posteriormente, União Européia) e a OTAN. O termo "reunificação" é empregado para diferenciá-la do processo histórico de unificação da Alemanha, em 1871.

# Alemanha nosso Deus é Grande !!!

# Blitz Fotos Europa & Alemanha

Clique no ícone do auto-falante abaixo para ligar o som

Mapa de visita do blog

Free counters!